Secretário Márcio Meirelles discute o mercado editorial com a Câmara Brasileira do Livro

Eduardo Yasuda e Marcio Meirelles

O secretário de Cultura da Bahia, Márcio Meirelles, reuniu-se com o vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro, CBL, Eduardo Yasuda, neste domingo, 15, durante visita do gestor baiano à 21º Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Na pauta de discussões, as políticas públicas para o setor editorial e a atuação das câmaras estaduais do livro, a exemplo da Câmara Bahiana do Livro, que em parceria com a SecultBa, levou livros de editoras baianas para a Bienal.  O evento literário acontece até o dia 22 de agosto no Anhembi, na capital paulista, e tem registrado grande fluxo de visitantes no estande da Bahia.

“A CBL realiza a maior feira literária do Brasil, que é esta Bienal de São Paulo, com expectativa de mais de 700 mil visitantes. Precisamos estabelecer parcerias para troca de experiências exitosas. O desejo da Secretaria de Cultura é potencializar a Bienal da Bahia para que ela se torne tão movimentada e organizada como a Bienal de São Paulo, de forma proporcional ao mercado baiano. Para isso a SecultBa vem dialogando com os responsáveis pela Bienal da Bahia, e com a Câmara Bahiana do Livro, que articula as editoras do Estado”, afirmou o secretário.


Eduardo Yasuda falou ao secretário de como a Bienal deste ano vem sendo organizada desde o encerramento da última edição em 2008. “Fizemos um diagnóstico do que poderia ser melhorado e investimos muitos esforços na divulgação do evento, através de parceria com o veículo de comunicação, e nos autores convidados. Trouxemos para esta Bienal os grandes nomes da literatura. Os mesmos que participam de feiras internacionais, mas aqui de forma democrática, para todos os públicos”, ressaltou o vice-presidente da CBL.

O dirigente da CBL elogiou a atuação da Câmara Bahiana do Livro, que vem participando dos debates nacionais do setor. “A CBaL tem tido representação em diversos fóruns do setor editorial, como os debates atuais sobre a lei do direito autoral. É muito importante este diálogo da Câmara com o Governo, através da Secretaria, para fortalecer as ações. A presença da Bahia nesta Bienal é prova disso”, destacou Eduardo Yasuda.

Entre as propostas discutidas na reunião está a maior integração das ações da Câmara Brasileira com as Câmaras estaduais do livro, para troca de experiências e criação de um calendário nacional de feiras e bienais. “Estamos nos articulando com as camadas do Nordeste e o resultado tem sido positivo. Seria ótimo se conseguíssemos essa articulação no âmbito nacional”, avaliou Márcio Meirelles, que colocou a Bahia à disposição para receber um encontro nacional das câmaras do livro.

“Por muito tempo o setor do livro foi pensando apenas com foco no leitor e no autor e com uma concentração de atribuições do Estado, que no caso da Bahia, editava, publicava e fazia circular. Isso enfraqueceu o mercado editorial. Estamos tentando reverter isso, potencializando todos os agentes da cadeia produtiva do livro, incentivando as editoras e articulações com as Câmaras.

Mais informações

Câmara Bahiana do Livro (71)  3117-6081 / 9192-8073

ASCOM Fundação Pedro Calmon: (71) 3116-6918 / 6919

Anúncios