Perfil- Carlos Conrado

Carlos Conrado é poeta, artista plástico, designer gráfico e Escritor. Nasceuna cidade de Jacobina (BA). Radicou-se em Sergipe no ano 2000. É autor dos livros Poesia Condenada, O Aeronauta entre a Razão e a Loucura, A Kombi de Prosa e Poesia em parceria com o escritor Valdeck Almeida de Jesus e editor da revista Locozines – Revista da Cultura Emergente, Organizador da antologia Poética A Plêiade – Tributo à Paz.

Continuar lendo

Perfil- Star Girl

Kelly Oliveira conhecida pelo pseudônimo “Star Girl” nasceu em Salvador-Bahia em 1993.  A paixão pela literatura surgiu quando Kelly ainda era pequena através de um amigo pelo qual guarda enorme gratidão.                                                                                                     
“O primeiro concurso que participei foi o TAL (Tempos de Arte e Literatura) nesse ano de 2010 com a poesia “Meu, só meu…”, na primeira etapa que é nos colégios eu venci em 1°lugar e na segunda etapa fiquei entre as 15 melhores da Bahia, não fui selecionada para a última etapa, mas fiquei muito grata por participar, pois adquiri experiência”.                                                          
Para o proxímo ano (2011) a poeta  esta com um projeto pessoal de publicar um livro contando a história de uma garota através da poesia o nome será: Memórias da Star Girl- A menina Perdida, nome escolhido em homenagem ao pseudônimo da autora. Kelly mantém a página Poesiasstargirl na internet.

Perfil- Denivaldo Piaia

“A arte, especialmente a literatura, é a forma mais saudável que experimentei para manter a sanidade”.

 

Denivaldo Piaia, é aquariano de 4 de Fevereiro de 1956, o poeta natural da cidade de  Campinas no estado de São Paulo. “Desde a adolescência gostava de escrever, mas sempre bem escondidinho, morrendo de vergonha de mostrar. Por isso deixei de lado por muito tempo, só voltando agora, há um ano e pouco, por insistência do amigo poeta Geraldo Trombin, de Americana-SP (super premiado e autor de dois livros sensacionais: “Transparecer a Escuridão” e “Só Concursados”), a quem mostrei alguns escritos (depois de tomar coragem) e que passou a “pegar no meu pé” para que voltasse a escrever e a participar dos concursos”.
Em 1980 formou-se em jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUCCamp. Atuou como jornalista por mais de 20 anos em rádios, revistas e TVs de sua cidade natal e outras do estado, como Rádios Educadora/Band, Central e Cultura/CBN de Campinas-SP, Revista Pauta de Limeira-SP, Suplemento Infantil “Brincar”/Jornal Vale Paraibano de S. J. dos Campos-SP, TVB Campinas (SBT), jornais empresariais diversos. Há cerca de 12 anos dedica-se à redação publicitária, atualmente na Agencia Mapple Comunicação e Marketing.
No lado pessoal a arte sempre correu paralela à profissão, com anos de dedicação à pintura (aquarela), tendo diversas premiações em salões de arte, e agora, mais recentemente, à literatura, já com cerca de 20 premiações em pouco mais de um ano, além da música. “Fui premiado em Salões de Arte em Sorocaba-SP, São João da Boa Vista-SP, Campinas-SP, entre outras que nem me lembro mais (faz bastante tempo)”.
Num terceiro caminho paralelo, estuda e atua na Numerologia Cabalística, ciência que se transformou em mais uma paixão, executando Mapas Numerológicos e ministrando cursos.
Denivaldo ainda pensa em desenvolver um blog poético, mas no momento mantém um blog sobre Numerologia e também  twitter  sobre o assunto.

Perfil- Grigório Rocha

 

Foto: Grigório Rocha/ Arquivo Pessoal

Nascido no Dia da Poesia, o poeta Grigório Maurício dos Santos Rocha, soteropolitano, teve a sua adolescência marcada pelos grandes acontecimentos políticos das décadas de 80 e 90. “… final da guerra fria, a queda do Muro de Berlim, a hiperinflação no Brasil, o impeachment do presidente Collor, a fundação do PT e da CUT, as grandes mobilizações dos trabalhadores, as primeiras campanhas presidenciais de Lula”. Em meio a tantas incertezas, Grigório procurou defender causas, foi membro da coordenação geral da Federação Nacional dos Estudantes de Arte – FENEARTE e representante estudantil no Conselho Universitário da UFBA (2001).
Hoje, bacharel em Artes Plásticas, formado pela UFBA, e pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior pela UNEB, atualmente cursa Licenciatura em Ciências Sociais pela UFBA.
Continuar lendo

Perfil- Cezar Ubaldo

Foto: Poeta Cezar Ubaldo/ Arquivo Pessoal

Cezar Ubaldo de Oliveira de Araújo nasceu em Feira de Santana, em 2 de outubro de 1950, tornou-se educador seguindo o exemplo do pai, Francisco Marques Araujo. Como professor na cidade de Feira de Santana e na relação de amizade com alguns dos seus amigos, a exemplo do professor e poeta Antonio Lopes foi desenvolvendo os seus estudos: cursou o Magistério no Instituto de Educação Gastão Guimarães. Já graduado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana.
“Pela vida vou tentando ajudar a construir no homem, algo de melhor, de mais humano.Entre um e outro olhar ,entre um buscar e outro,mergulhei na minha fonte de poesia e, lendo-a,interpretando-a,comovendo-me e aos outros, senti que educação e poesia combateriam as insatisfações.E fiz da educação e da poesia o meu caminhar pela vida”.

Continuar lendo

Perfil- Jessé Barbosa de Oliveira

Foto: Jessé Barbosa de Oliveira/ Arquivo Pessoal

 

  “Quase no Pôr-Do-Sol de minha adolescência, descobri que o meu destino era caminhar tropegamente pelas alamedas da poesia”

 

Jessé Barbosa de Oliveira, nasceu em Junho de 1982, na cidade do Salvador, Bahia. Local que o poeta denomina como paraíso. “Quase no pôr-do-Sol de minha adolescência, descobri que o meu destino era caminhar tropegadamente pelas alamedas à poesia”.
O despertar à poesia surgiu através de um trabalho escolar. A mãe do poeta e  a poesia de Drummond, João Cabral, Augusto dos Anjos e Cruz e Sousa foram os incentivadores de Jessé no gosto à poesia.
Há cerca de três anos Jessé publica regularmente em diversos sites literários.  Mantém a página na Internet: BocaMenorDaPoesia, com galeria de fotos, notícias, livro de visitas e lista de blogs.

Dados Bibliográficos:
50° Volume da Antologia dos Poetas Brasileiros Contemporâneos, organizado pela Câmara Brasileira dos Jovens Escritores. O Poema publicado chama-se Escribir En Cielo De Amargura.
51°Volume da Antologia dos Poetas Brasileiros Contemporâneos, organizado pela Câmara Brasileira dos Jovens Escritores. O Poema publicado chama-se Fábricas da Morte.

*  Todos os poemas foram registrados pela Biblioteca Nacional, situada no Estado do Rio De Janeiro e encontram-se sob a Proteção da Lei dos Direitos Autorais N° 9.610/98

Contato: tropegapoesia@gmail.com

Perfil- Everton Lima de Oliveira

Foto: Everton Lima/ Arquivo Pessoal

Everton Lima nasceu em 11 de fevereiro de 1968 em Salvador. É filho da costureira Lindaura Lima de Oliveira e do comerciante Manoel de Oliveira. Na infância conheceu a obra Infantil de Monteiro Lobato e desenvolveu o fascínio pelas letras.
Estudou os primeiros anos de vida escolar no colégio cujo patrono foi o  educador do nosso quase mártir Castro Alves(Abílio César Borges), teve acesso à  literatura do vate Baiano na mesma biblioteca em que conheu a obra infantil de Monteiro Lobato, residiu a menos de duzentos metros da Escola Castro Alves, onde estudou a primeira série do ginásio, estudou a segunda série do ginásio em queoutro ícone também, não só da poesia, bem como da música, Raul Seixas, cursou, umas duas décadas antes, do mesmo modo, a segunda série ginasial: Ginásio de São Bento.
A partir disso surge a percepção de que a poesia estava em todos os lugares e em todos os momentos, desde a letra das músicas de Raul, Chico, Caetano, Gil, Jonh Lennon, Moraes Moreira, Vinícius de Moraes, Raimundo Fagner “até no banho de mar que eu tinha todos os dias no fundo do quintal da minha casa(morava próximo da praia do Canta Galo) , nos meus isolamentos da turma do baba, no fundo do quintal da escola e nas diversas imagens e mensagens que me chegavam a todo tempo, de todos os tempos e que eram processadas no fundo do quintal da minha imaginação criativa”.
Além da poesia dedica-se também à composição, ao canto e à promoção de eventos culturais relacionados à poesia. O poema Sonhando (Verdades) escrito em 1985 é o marco de sua carreira poética. A primeira publicação aconteceu em 1988 através do poema Como, na antologia A Paz Mora no Coração do Poeta (através de classificação em um concurso de poesia promovido pela Federação Baiana dos Escritores). Em 1990, classificado entre os cinquenta melhores concursistas do Brasil, pela Editoração Círculo de Estudos Pensamento e Ação (CEPA), no Concurso Castro Alves Vivo participou da antologia poética de mesmo nome com o poema Êxtase Constante.
Em 1991 convidado pelo presidente do CEPA, Professor Germano Machado publicou o poema Dilema na revista Cepa Cultural número nove.
Em 1994 ingressou no Coral da Uneb, local em que participou da gravação de dois Cds.

Continuar lendo